SITE INTERNACIONAL DE NOTÍCIAS, INFORMAÇÕES, OPINIÃO SOBRE ECOLOGIA, MEIO AMBIENTE E CULTURA

 

Da Agência Ambiente Energia – O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) divulgou, na semana passada, novo relatório, intitulado “Rumo a uma Economia Verde: Caminhos para o Desenvolvimento Sustentável e a Erradicação da Pobreza”, que aponta os caminhos para um mercado sustentável.

Segundo o documento, serão necessários investimentos de 2% do Produto Internto Bruto – US$ 1,3 trilhão – em 10 setores estratégicos para iniciar a transição para uma economia de baixo carbono. O relatório sugere um modelo econômico que evitaria riscos, choques, escassez e crises cada vez mais inerentes na atual economia de alta emissão de carbono.

Os dez setores identificados no relatório como fundamentais para tornar a economia global mais verde são: agricultura, construção, abastecimento de energia, pesca, silvicultura, indústria, turismo, transportes, manejo de resíduos e água.  O documento aponta a necessidade de investimentos anuais de mais de US$ 360 bilhões para o abastecimento de energia.

O documento do Pnuma ressalta que, hoje, o mundo gasta entre 1% e 2% do PIB global em uma série de subsídios que, geralmente, prolongam a insustentabilidade do uso de recursos tais como combustíveis fósseis, agricultura, água e pesca. Um investimento anual de cerca de 1,25% do PIB mundial em eficiência energética e energias renováveis poderia reduzir a demanda global por energia primária em 9% em 2020 e em 40% até 2050, de acordo com o relatório.

A economia de capital e de gastos com combustível na geração de energia, sob o cenário da Economia Verde, seria de 760 bilhões de dólares entre os anos de 2020 e 2050. Outra meta abrangente é a diminuição das emissões de gases de efeito estufa para níveis muito mais seguros, de 450 partes por milhão até 2050. O relatório faz parte das preparações para a conferência Rio+20, que acontecerá no Brasil em 2012.

“Os governos têm um papel central na mudança das leis e das políticas e no investimento de bens públicos para possibilitar a transição. Ao fazê-lo, podem também desbloquear os bilhões de dólares do capital privado em benefício de uma economia verde.”, declarou Pavan Sukhdev, economista sênior do Deutsche Bank e Diretor da Iniciativa Economia Verde do Pnuma.

 

Anúncios