SITE INTERNACIONAL DE NOTÍCIAS, INFORMAÇÕES, OPINIÃO SOBRE ECOLOGIA, MEIO AMBIENTE E CULTURA

75% dos corais ameaçados de extinção

Daniele Bragança

Do O Eco

Heliofungia actiniformis: espécie que sustenta muitas outras, como uma conhecida como camarão pipoca Periclimenes kororensis (na foto em vermelho) e outras espécies de peixes que vivem nos tentáculos. Foto: Wolfgang Krutz.

O relatório “Reefs at Risk Revisited”, elaborado por 25 organizações ambientais e centenas de cientistas, identificou 27 países mais vulneráveis à degradação dos recifes de coral, o Brasil entrou na lista.

Os nove países mais vulneráveis são: Haiti, Granada, Filipinas, Ilhas Comores, Vanuatu, Tanzânia, Kiribati, Ilhas Fiji e Indonésia.

O desenvolvimento costeiro, a poluição dos mares e a sobrepesca são algumas das pressões locais que ameaçam cerca de 60% dos recifes de corais.

Se nada for feito, a estimativa é que o percentual de recifes ameaçados salte de 75% para 90% em 2030 e para quase todos os recifes em 2050.

Somente a pesca, aumentou o impacto nos recifes em 30% desde 1998. No relatório, também foram incluidas as ameaças das mudanças climáticas, como o aquecimento dos oceanos, que causa branqueamento dos corais, e o aumento da acidificação dos oceanos, devido ao dióxido de carbono.

“Os recifes de coral mantem estáveis nossos suprimentos alimentares e produzem compostos para encontrar soluções em medicamentos para o câncer, doenças cardíacas e HIV. Quando garantimos a preservação dos recifes, garantimos também o futuro dos humanos”, explica Mark Spalding, cientista marinho sênior da TNC e principal autor do relatório.

O relatório está sendo lançado pelo World Resources Institute (WRI), juntamente com a ONG The Nature Conservancy (TNC), o Centro WorldFish, a International Coral Reef Action Network, Global Coral Reef Monitoring Network (GCRMN) e o Centro Mundial de Monitoramento da Conservação do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).