SITE INTERNACIONAL DE NOTÍCIAS, INFORMAÇÕES, OPINIÃO SOBRE ECOLOGIA, MEIO AMBIENTE E CULTURA

Geração Z: sustentáveis, exigentes e seus futuros clientes. Sua empresa está preparada?

Conhecidos como geração Z, são críticos, dinâmicos, tecnológicos e tendem a transformar as intenções ecologicamente corretas de agora em hábito, preferência e ações

 

Por Gilberto Wiesel, www.administradores.com.br

Termos como “produtos ecologicamente corretos”, “sustentabilidade” e “meio ambiente” permeiam a mídia, a política, os encontros empresariais, o mundo. Mas, a sustentabilidade ainda não é hábito no cotidiano da atual geração consumidora. Este é um período de transição na educação ambiental da população e, apesar das empresas já estarem agindo, precisam firmar a tomada de iniciativas que visam o futuro. Ainda são poucos os frutos de propostas e mesmo ações no presente, quando o consumidor ainda não está preparado e nem aprova completamente o produto ou a intenção, mas a questão é a futura geração de consumidores.

 Conhecidos como geração Z, são críticos, dinâmicos, tecnológicos e tendem a transformar as intenções ecologicamente corretas de agora em hábito, preferência e ações. Nascidos a partir de meados dos anos 90, esses ainda meninos e meninas lêem atenciosamente os rótulos, se preocupam efetivamente com o meio ambiente, são ensinados desde a escola da importância da natureza e, principalmente, já incluem no cotidiano os costumes de uma vida sustentável. E como preparar sua empresa para esses futuros clientes? As ações estratégicas com foco no futuro são suficientes para conquistar essa nova geração de compradores? E quando, além de projeções, também são necessários resultados imediatos?

 A mudança necessária para atender às necessidades e vontades dos “consumidores sustentáveis” exige planejamento e paciência. Mas, acima de tudo, exige ação a partir do presente. É preciso um trabalho de educação ambiental dos consumidores atuais, porém, só a disseminação da importância da preservação do meio ambiente pode não ser suficiente para a real conscientização. Exemplos dentro das empresas, como as que vendem produtos sustentáveis, mas não fazem ao menos coleta seletiva dentro da própria linha de produção ou escritórios, mantêm as intenções nas ideias e longe dos costumes.

 Alguns empreendimentos, por exemplo, lançaram versões mais ecológicas e baratas de produtos, como o sabão em pó Ariel Ecomax, que produz menos espuma e reduz o número de enxágues, ou o papel higiênico Neve Naturali, feito a partir de aparas selecionadas e compactado, economizando embalagem. Mesmo com esse cuidado com o meio ambiente, esses produtos ainda são menos vendidos que suas versões tradicionais. A maioria dos clientes prefere manter-se fiel aos produtos de sempre.

 Outro ponto a se pensar é a dificuldade em encontrar esses produtos, visto que muitos deles são vendidos apenas em lojas especializadas. Os poucos encontrados nos supermercados são, em sua grande maioria, mais caros que os convencionais, ou seja, produtos ecologicamente corretos ainda não estão ao alcance de todos.

 Para suprir as necessidades dessa nova geração, o empresário precisa arriscar na criação de diferentes conceitos. Mas lembre-se, atingir os consumidores e se preparar para as exigências dos futuros clientes não significa esquecer as características que fizeram com que esses consumidores se tornassem leais à sua marca.

 Inovação pode ser a grande diferença entre perdurar ou não no mercado, ainda mais com esses pequenos futuros consumidores, que aprovam e querem consumir o novo e o sustentável.

 Algumas empresas já iniciaram campanhas focadas especialmente nestes novos clientes. Um exemplo de ações para o futuro é o “Danoninho para Plantar”. Cada bandeja do produto da Danone traz consigo um sache com sementes de flores e hortaliças que contém instruções para se plantar no próprio potinho, além de um código que permite a criança plantar uma “árvore virtual” na Floresta do Dino, no site da empresa. Cada “árvore virtual” plantada ajuda no reflorestamento da Mata Atlântica. Esse é um exemplo de como investir em consumidores do futuro, ao mesmo tempo em que se cria ações ecológicas no presente.

 Assim como não se pode deixar de disseminar a importância da preservação do meio ambiente e agir em prol disso, é preciso se preparar para essa nova geração consumidora. Os futuros compradores querem, além de planejamento, mudanças reais nos produtos, princípios e atitudes das empresas. Preparar-se para essa nova fase é difundir informação e renovar os hábitos em benefício do planeta, e transformar a sustentabilidade tão exigida por esses novos clientes de discurso para ações concretas.

 Gilberto Wiesel é empresário, administrador de empresas pós-graduado em Marketing pela FGV. É Master-Practitioner em Programação Neurolinguistica pela Sociedade Brasileira de PNL e membro da Time Line Theraphy Association, Hawai-USA. É escritor, conferencista e diretor dor Grupo Wiesel que atua na área de Educação Corporativa

 

 

BRASKEM RECEBE PRÊMIO TOP AMBIENTAL

 

 A Braskem recebeu o prêmio Top Ambiental, oferecido pela ADVB-SP (Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing de São Paulo), como uma das dez empresas com melhores práticas ligadas ao meio ambiente e sustentabilidade em 2009.

Reconhecimento é em virtude das práticas ambientais da empresa em 2009

 

Durante evento realizado em São Paulo, Jorge Soto, diretor de Desenvolvimento Sustentável da Braskem,  apresentou a estratégia e os projetos da Braskem para o desenvolvimento socioambiental. Destacou  o compromisso da Braskem com ações responsáveis, que são refletidas na melhora contínua dos índices de ecoeficiência.

Os programas de pesquisa e desenvolvimento para inovações em sustentabilidade também foram destacados, além do apoio aos projetos socioambientais desenvolvidos em São Paulo, Bahia, Alagoas e Rio Grande do Sul, estados onde a Braskem possui plantas industriais.Um dos destaques é o Projeto Lagoa Viva, que abrange 22 municípios de Alagoas e busca trazer uma mudança educacional e de postura para jovens, crianças e professores com relação a questões ambientais. No contexto da promoção cultural, cabe ressaltar o Fronteiras do Pensamento, que acontece em Porto Alegre com a finalidade de aproximar pensadores modernos do público, através de debates e ciclos de palestras que estimulam novas visões.A atuação socioambiental da Braskem também pode ser identificada em cada avanço estratégico da companhia. Em 2009, foi fechada parceria com a dinamarquesa Novozymes (líder mundial de enzimas industriais) para pesquisa e desenvolvimento de polipropileno (PP) feito a partir da cana de açúcar. A Braskem foi a pioneira nesse tipo de iniciativa, sendo a primeira empresa no mundo a certificar o polietileno e o polipropileno de fonte 100% renovável.

Soto afirma que o reconhecimento é gratificante para todos os envolvidos com as melhoras contínuas promovidas pela Braskem, e completa: “Esse prêmio é reflexo do nosso comprometimento no campo do desenvolvimento sustentável. Também é um estímulo para que continuemos sempre em busca das melhores alternativas para tornar nossa atuação cada vez mais positiva para a sociedade e para o meio ambiente.”
 
O prêmio Top Ambiental foi criado em 1993 pela ADVB-SP com o intuito de identificar e valorizar as principais companhias que se preocupam com a questão ambiental. A iniciativa visa tornar o assunto da responsabilidade ambiental mais acessível, além de promover debates que tornem ações ligadas a essa área mais recorrentes no setor empresarial.

A edição 2009 do prêmio foi realizada em um formato diferenciado dos anos anteriores. Personalidades do setor de sustentabilidade e responsabilidade ambiental foram os responsáveis por indicar as empresas concorrentes. Em vez de um único case apresentado, as indicadas foram reconhecidas por suas ações diversificadas em várias frentes que compõem a área de sustentabilidade.

O corpo de jurados, responsável por fazer a seleção final dos homenageados, usou como critério de elegibilidade as empresas que ao longo do ano de atuação conciliaram crescimento econômico com respeito.
A Braskem é líder em resinas termoplásticas na América Latina e terceira produtora petroquímica das Américas e tem como bases de sua estratégia a competitividade e a autonomia tecnológica, alinhadas com o compromisso de promover o desenvolvimento sustentável.

EDUCAÇÃO UM DOS ELEMENTOS-CHAVE DA SUSTENTABILIDADE

 

 

 

ILUSTRAÇÃO DE LUBO - DIREITOS RESERVADOS 2.010

Cidadania a priori é a capacidade que tem o cidadão de votar e ser votado, mas o seu exercício vai muito além, pois inclui a participação efetiva do indivíduo na vida social, ou seja, na inter-relação entre os sujeitos.
A idéia de que só vou bem, quando todos vão bem, não é figura de retórica, é fato, assim como diz-se que “quem semeia boas sementes, colhe bons frutos”, também quem semeia atos positivos e construtivos, só poderá colher bons resultados que virão na ordem direta da prática adotada.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

OBRA PUBLICADA COM APOIO CULTURAL DA REDECARD S/A

 

 

 

 

 

 

 

A cidadania pressupõe obrigações, que passam pelo amor à pátria, respeito aos direitos de cada um e aos valores pelos outros cultuados. O dever de democratizar oportunidades, distribuir educação e partilhar conhecimentos visando o engrandecimento dos indivíduos completam o quadro das obrigações do verdadeiro cidadão preocupado em conviver harmonicamente com os que dele acercam-se.
Num país tão carente de educação como o nosso, o exercício pleno da cidadania exige atitudes firmes na difusão da cultura como meio de estimular a prática de bons princípios que advém  da educação e da cultura.

 

A REDECARD S/A APOIANDO INICIATIVAS CULTURAIS

Um país com alto grau de desenvolvimento educacional e cultural, ganha sem dúvida alguma em qualidade de vida, que é uma meta comum a todos.

 

CIDADANIA CORPORATIVA

Cidadania corporativa é uma figura que criamos para bem ilustrar a responsabilidade social das empresas, pois na verdade cidadania é um termo apenas aplicável ao cidadão, à pessoa física, em contraposição à pessoa jurídica.
No entanto a empresa, pessoa jurídica, é apenas uma cortina, atrás da qual encontra-se uma pessoa física, que lhe dá vida e amolda seu comportamento. A empresa é o espelho de seus dirigentes, que dão a ela os contornos do que lhes vai em mente.
Empresas com dirigentes cientes de suas obrigações de cidadãos, terão por certo um desempenho que vai de encontro às demandas da população.
A reserva de uma pequena parcela do lucro para atividades culturais e educativas, é essencial para o crescimento do conceito da empresa junto à população, que identifica-se com ela e em reconhecimento lhe retorna em fidelidade.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

O ATENDIMENTO ÀS DEMANDAS CULTURAIS É OBJETIVO DA REDECARD S/A

 

Empresas sustentáveis com um olho no futuro investem em educação e cultura, mesmo que isto não signifique retorno imediato e direto em termos financeiros, mas um ganho para a sociedade como um todo.
Se educação e cultura representam sustentabilidade para a empresa, para o cidadão representa um ganho inestimável para uma vida digna e socialmente perfeita no mundo em que nós e a empresa vivemos.
Pensar em empresa sustentável numa sociedade que não tenha horizontes, não é uma tarefa plausível.
Empresa sustentável exige uma sociedade igualmente sustentável, uma não pode estar dissociada da outra sob pena de uma ou ambas naufragarem.
Cidadania corporativa, uma idéia que muitas empresas já adotam com muitos outros nomes, que nós só fizemos rebatizar e que muitas outras empresas  precisam adotar.

EMPRESA EM FOCO: REDECARD

Sustentabilidade é um termo relativamente  vago, que permite sua utilização às vezes  de forma indevida por empresas de diversos segmentos.

Uma das razões para que isso ocorra é a falta de uma padronização internacionalmente válida e os critérios a serem adotados para que isso seja feito. No plano internacional há um levantamento anual feito pela canadense Knights Corporate, desde 2.005, que lista as cem empresas de capital aberto, que dentro de parâmetros por ela estipulados seriam as maiores em sustentabilidade no planeta. (vc pode ler esta matéria em outra página deste site).

Se o termo sustentabilidade é um tanto  vago, a sua extensão, já não é.

No aspecto econômico-financeiro, por exemplo, considera-se sustentável a empresa capaz de honrar seus compromissos e de permanecer atuante no mercado e assim por diante.

    Há diversos parâmetros para aferir-se sustentabilidade, que no entanto, pecam num quesito que é o da universalização do alcance, que pode ser entendida como a responsabilidade socioambiental, ou seja,  continuar produzindo, atentando a demanda crescente da população, usando estratégias que garantam a preservação do meio ambiente e a qualidade de vida e que ainda garantam o pleno uso dos recursos naturais do planeta e a manutenção da vida das futuras gerações.

ROBERTO MEDEIROS - PRESIDENTE DA REDECARD

A RECARD  quando recicla materiais inservíveis, como as famosas maquininhas eletrônicas, que lê os cartões magnéticos de crédito e débito, sem dúvida alguma tem um ganho direto com a reciclagem, mas indiretamente proporcionou ao meio ambiente, do qual todos fazemos parte, um ganho muito maior e inestimável, isto é responsabilidade social.

Aliás, hoje o lixo eletrônico(e-waste, em inglês) é um problema muito sério e já representa na União Européia cerca de 4% do total de resíduos sólidos urbanos, cujo destino não raras vezes, são os países asiáticos, que contrariando as normas internacionais, importa-os para a reciclagem.

Não raras vezes este lixo contamina o lençol freático e transmite doenças, cujas vítimas na maioria das vezes são as crianças.

Livrar o mundo deste resíduo nocivo faz parte da sustentabilidade, que na verdade é um conjunto de diversas ações, um processo e uma filosofia, que não se esgota e não termina em um determinado período de tempo. É uma atitude e uma evolução para a qual a REDECARD parece que encontrou o caminho.

Inovações e melhorias ambientais se tornaram valores a serem constantemente  buscados,  podendo ser diferencial de competitividade e a empresa que adquire essa consciência estará passos à frente da concorrência.

Agora, há necessidade de seguir em frente, adotando… promovendo tecnologias de baixos resíduos, recuperação de resíduos, a substituição de matériais-primas poluentes e o uso de tecnologias limpas.

Quem sabe se no futuro com o avanço da tecnologia, os cartões magnéticos que identificam o usuário deixarão de existir, bastando apenas um leitor da impressão digital.

O cliente receberia em sua casa via internet, o comprovante da operação efetuada. Se isto, como tudo indica vier a acontecer, a REDECARD como empresa sustentável e em permanente desenvolvimento, adotará de pronto a inovação, com inestimável economia de plásticos e papéis e ganhos para o meio-ambiente.

 

REDECARD A ESCOLHIDA

Criar um blog é algo gratificante. É como sonhar aos pedacinhos.

Começa-se dando-lhe um nome e buscando um tema com o qual identifica-se, até ele criar vida e andar pelas próprias pernas.

Após, então, começa uma verdadeira comunhão entre o criador e o leitor que o acompanha.

Nossa intenção inicial quando tínhamos dois blogs (www.colunadosardinha.blogspot.com e www.colunadosardinhaecologia.blogspot.com ) foi reforçada por este, que é um verdadeiro site. Elegemos o meio-ambiente, a ecologia e a cultura como bandeiras pelas quais iríamos lutar, sabendo antes de tudo, que faríamos o papel do passarinho, que diante do incêndio que consumia a mata, enchia o bico de água e despejava aquela quantidade ínfima do líquido no fogo que estralava.

Felizmente, os fatos estão nos dando razão, dizendo que devemos prosseguir e apoiar todos que seguem a mesma trilha. Daí as razões que nos levaram a criar uma página exclusiva para empresas empenhadas em valorizar sua atuação sócio-ambiental e cultural e onde o lucro é apenas conseqüência de um trabalho consciente e não razão única de sua existência.

Denominada “Empresas sustentáveis”, a página dará espaço primeiramente à REDECARD, empresa do setor de serviços com sede em Barueri SP, uma das companhias líderes do mercado dos meios eletrônicos de pagamento e credenciadora de 16 bandeiras diferentes, entre crédito, débito, voucher e private label, que tem no apoio à literatura e na reciclagem de máquinas de autenticação de cartões, interessantes áreas de atuação, que justificam o título de empresa sustentável.

Começa bem, assim o WP, que promete em uma série de artigos dar amplos detalhes sobre a REDECARD.

Outras empresas assim consideradas sustentáveis, serão alvo de reportagens futuras, acreditando o site desta forma estar contribuindo, ainda que com uma pequena gota d’água que pode tornar-se um turbilhão, para que o futuro nesta Terra seja realmente de todos nós.

A Redação

Ilustração: “Equilíbrio” – por Lubo

Direitos reservados  2.010

 

Para ver a ilustração em tela cheia, clic em cima da imagem
 

REDECARD – UMA EMPRESA SUSTENTÁVEL

 
 
 
 

O mundo vive de tempos em tempos assaltado por modismos, nem sempre bem explicados, que nada mais são que ações de marketing, que servem para mascarar maus empresários, que usando frases ou termos de efeito tentam difundir qualidades que não tem. Pobre da ética, que se vê enxovalhada e dá lugar à antiética, que tem no lucro fácil a sua maior bandeira.

A empresa deve ter na ética a primeira das qualidades que a credencia a tornar-se realmente sustentável.

Some-se a isto que, no século XX com aumento da população, que nos faz estranhos num mundo em que deveríamos ser todos iguais, a empresa que conquistar os três “C” – confiança, confiabilidade e credibilidade – aliada à ética, terá como recompensa a fidelidade de clientes, fornecedores e dos funcionários que são a essência de sua existência.

A REDECARD como conhecedora do exemplo dos círculos concêntricos, que podem ser observados quando atira-se uma pedra num lago, as ondas que se formam vão expandindo-se indefinidamente e também que o exemplo maior deve vir de casa, implantou uma política agressiva de valorização de seus colaboradores, que é sentida nos mais distantes recantos onde encontra-se uma pequena máquina autenticadora.

Como resultado da filosofia dos três “C” (confiança, confiabilidade, credibilidade) mais “E” (ética) igual a “F” (fidelidade) a REDECARD fez jus às seguintes láureas:

2009

• Prêmio As 100 Mais Inovadoras em TI – Categoria Serviços: Tecnologia e Computação – Information Week  e Deloitte

 • Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente – Categoria: B2B – Revista Consumidor Moderno.

  • Prêmio Mérito Lojista – Categoria: Serviços – CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas).

• Prêmio Melhor Companhia de Capital Aberto para os Acionistas na categoria Large Cap – Revista Capital Aberto.

2008

• Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente –Categoria: B2B – Revista Consumidor Moderno.

• Prêmio Intangíveis Brasil (PIB) – Categoria: Serviços Financeiros – Revista Consumidor Moderno.

 Sustentabilidade inclui obrigatoriamente o ser humano, como parte integrante do meio ambiente. A REDECARD colhe merecidos dividendos pelo zelo que dedica aos seus colaboradores, que são a alma de uma empresa bem estruturada e por isso mesmo sustentável.

O sucesso obtido em 2.008/09 certamente irá repetir-se em 2.010, com o engajamento cada vez maior do corpo de colaboradores, fornecedores e clientes.

Ilustração: Lubo. Direitos Reservados 2.010

 

Anúncios