SITE INTERNACIONAL DE NOTÍCIAS, INFORMAÇÕES, OPINIÃO SOBRE ECOLOGIA, MEIO AMBIENTE E CULTURA

Posts marcados ‘FUKUSHIMA’

Nuclear Safety

Nuke Plant Inspections Find Flaws in Disaster

Readiness

by John Sullivan, Special to ProPublica

.The Fort Calhoun nuclear power station, in Fort Calhoun, Neb., is surrounded by flood waters from the Missouri River on June 14, 2011. (Nati Harnik/AP Photo)

A special inspection of U.S. nuclear plants after the Fukushima disaster in Japan revealed problems with emergency equipment and disaster procedures that are far more pervasive than publicly described by the Nuclear Regulatory Commission, a review of inspection reports by ProPublica shows. (mais…)

Anúncios

NUKES CRISIS (PROPUBLICA)

U.S. Nuclear Regulator Faces Fresh Scrutiny for

Bending Safety Standards

by Marian Wang
ProPublicaWeird scatalogical video explains the nuke crisis to Japan's kids

In the wake of Fukushima, story after storyhas been published about the cozy relationship between Japan’s nuclear industry and its regulators: Japanese nuclear regulators extended the use of reactorsdespite concerns about equipment upkeep and left key safety measures to the initiative of plant operators, as many have reported in the months since. (mais…)

CRISE NUCLEAR

Rejeição à energia nuclear deve aumentar emissões em 30%, prevê AIE

Com Envolverde /por Redação EcoD

A queda pela metade da expansão da energia nuclear mundial depois do desastre de Fukushima, no Japão, aumentará o crescimento global das emissões de dióxido de carbono (CO2) em 30% até 2035, alertou na quarta-feira, 15 de junho, a Agência Internacional de Energia (AIE).

1239 300x187 Rejeição à energia nuclear deve aumentar emissões em 30%, prevê AIEEm maio, a AIE advertiu que a meta política para limitar asmudanças climáticas a níveis mais seguros não foi alcançada, uma vez que as emissões globais aumentaram quase 6% em 2010 em relação ao ano interior. (mais…)

CRISE NUCLEAR

Aumento de radiação interrompe trabalhos em usina

japonesa

Do Correio do Brasil

Por redação, com Reuters

Um aumento de radiação interrompeu a retirada de água radioativa na usina japonesa de Fukushima neste sábado, poucas horas após o processo ter sido iniciado, um novo revés nos esforços para restaurar a situação do complexo atingido pelo terremoto.

Compartimentos temporários de água com radiaçãomédia e baixa na usina de Fukushima no Japão

A usina vem vazandoradiação na atmosfera desde o tremor seguido de tsunami de 11 de março, e tanto a China quanto a Coreia do Sul expressaram preocupação com a possibilidade de novos vazamentos para o mar. (mais…)

AS USINAS NUCLEARES NA MITOLOGIA GREGA

Pandora e Stradivarius

Do Correio do Brasil

Por Frei Betto

Conta o mito grego que Epimeteu ganhou dos deuses uma caixa que continha todos os males. Advertiu a mulher, Pandora, que de modo algum a abrisse. Mordida pela curiosidade, ela desobedeceu e os males escaparam.

Hoje, uma das caixas de Pandora mais ameaçadoras são as usinas nucleares – 441 em todo o mundo. Por mais que os Epimeteu das ciências e dos governos apregoem serem seguras, os fatos demonstram o contrário. As mãos de Pandora continuam a provocar vazamentos. (mais…)

DESASTRES NATURAIS

Custo das catástrofes naturais explode

Na cidade japonesa de Kesennuma, os escombros das casas destruídas pelo tsunami.

Na cidade japonesa de Kesennuma, os escombros das casas destruídas pelo tsunami. (Keystone)

Por Simon Bradley, swissinfo.ch


O risco de ser morto por um furacão ou uma inundação é menor hoje do que há 20 anos. No entanto, os custos das catástrofes naturais explodiram.

(mais…)

FONTES ENERGÉTICAS ALTERNATIVAS

Por uma nova economia energética

por Ricardo Abramovay*

1161 300x193 Por uma nova economia energéticaÉ necessário desfazer a ilusão, difundida amplamente por Al Gore, de que os Estados Unidos podem tornar-se independentes dos combustíveis fósseis nos próximos dez anos. Mesmo que o esforço nessa direção seja equivalente ao mobilizado durante a Segunda Guerra Mundial, levará ao menos três décadas para que fontes alternativas substituam o petróleo na matriz energética norte-americana. Os custos adicionais da construção de novas usinas nucleares, após o acidente de Fukushima, só tendem a dilatar esse prazo. (mais…)